A Dinamarca aprovou o arresto de bens aos refugiados

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

Que Europa é esta neste século XXI? Que não- Memória tem esta Europa neste século XXI? Que desumaníssimo (re) invadiu esta Europa passado pouco mais de 70 anos sobre o fim do domínio de Hitler, do Nazismo, do confisco de vidas? Ao que chegamos este início de 2016, e como estearemos no final do ano? Iremos começar a “matar à paulada” os Refugiados que chegam à Europa? À Dinamarca? E não só? A Dinamarca, País da suposta União Europeia, decidiu interna e “democraticamente” que os refugiados lá chegados, terão à entrada de abrir as suas malas, deixar-se revistar ( tipo preso a entrar na prisão, ou Judeu num Campo de Concentração de Hitler) e entregar dinheiro ou tudo o que valer acima de dez mil coroas (1340 euros), exceptuando objectos de “elevado valor sentimental”. E, a acrescer, para mas desumanismo criar: só depois de três anos a viver no país, leia-se Dinamarca, um refugiado de guerra a quem esse estatuto tenha sido reconhecido, pode pedir autorização para que a sua família se junte a ele na Dinamarca. A resposta ao pedido pode demorar anos e caberá aos refugiados suportar os custos das viagens.

Lembremo-nos que em Colónia, Alemanha na passagem do ano, um grande grupo de Refugiados – homens solteis jovens – terá atacado sexualmente umas jovens alemãs que se divertiam. E porquê? Talvez, por a Alemanha, que é o único Pais na Europa que se tem portado muito bem quanto ao tema Refugiados – más lembranças de Adolph Hitler? – acolheu homens jovens solteiros, enquanto por exemplo o Canadá abrigou casais. Não nos queiramos esquecer, também, que os homens e as mulheres temos sexo, e sexualidade. A não ser que comecem na Dinamarca e sabe-se lá onde pela Europa a castrar os homens… tudo é possível…hoje…outra vez… não será para ter cantores Castrati…mas para abolir a sexualidade… A Hungria já se fortificou com muros para não deixar entrar Refugiados. A Polónia, a arrepio da legislação comunitária, “fez” internamente outras leis para controlar totalmente os meios de comunicação social, por forma a escreverem e dizerem o que lo Governo de extrema- direita, desejar seja quanto a Refugiados, seja quando o que possa ser.

Isto é a Europa, de hoje. Isto é um regresso lento mas consolidado ao tempo de Hitler, em que os austríacos por exemplo, quando fulgiam em 1938 da invasão de Hitler, ficavam sem nada era-lhes tudo pilhado, chegavam a Portugal os que conseguiam, só com a roupa no corpo. A Dinamarca que é um País do Norte da Europa, quando este, está com a fama de ser a fonte da riqueza e bom comportamento da União Europeia, contra os pobretanas e selvagens de sul “rouba” aos Refugiados os poucos bens que conseguiram trazer do seu País que ficou desfeito numa guerra assassina, como o são todas. E podem os Refugiados ficar com a aliança! Se forem casados, se ainda tiverem aliança. O que é isto? Ao que chegamos? Vão começar a deixar ficar os dentes de ouro se os tiverem, ou como no tempo de Hitler, nos campos de Concentração até os dentes de ouro arrancavam para derreter e fazer barras de ouro que até terão chegado a Portugal, no tempo neutral de Salazar, em troca de volfrâmio e não só? Que Europa é esta? Que desumanismo nos está a varrer? Vale tudo? A vida só conta se for dinamarquesa, húngara, polaca? A extrema-direita permite-se reforçar-se nesta Europa por todo o lado, e escolher pela força quem tem direito a ter alguns parcos bens, quem tem direito a mover-se, quem tem direito a ter família, quem tem direito a estar vivo? O que é isto? Para que valeu a II Guerra Mundial? Para onde vamos? Muito mau, Muito mau. Só falta nas fronteiras recolocar o Cruz Suástica e o retrato de Hitler!

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 27/01/2016