A Turquia a chantageia a Europa, a Rússia aproveita a sua fraqueza

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

Com a desdemocratização e desunião da Europa, todos “de fora”, se aproveitam, situação para nós muito negativa, para eles cada vez mais positiva. Hoje, face à forma como a Europa se desconjunta a cada dia que passa dá para entender, infelizmente, que se a Turquia no seu processo inicial de democratização tivesse “entrado neste Espaço Europeu”, hoje estaria a fazer pior que a Hungria e a Polónia “cá dentro”, e ninguém a poria em ordem, tal com acontece com os dois países anteriormente referidos, “já cá dentro”. Países que praticam a anti-democracia, e já quase ditadura! Como a Frau Merkel, no pico da afluência de Refugiados à Europa, teve uma visão dos Campos de Concentração de Hitler, tentou que tal não voltasse a acontecer, mas ficou isolada, uma vez que todos os restantes países desta Europa “assobiaram para o lado”, e consequentemente, está a perder votos para a extrema-direita, por ter sido humana. E como mais nenhum País europeu quer ajudar humanamente a resolver a Crise dos Refugiados separando estes de Migrantes Económicos, vamos afundando a Europa a cada dia que passa.

A Rússia do ex-KGB, Sr. Putin, aproveita a confusão, e em vez de bombardear o Daesh, põe-se ao lado da Síria, destrói locais “mesmo” junto a esta, criando mais Refugiados que empurra para a Europa para esta ficar mais afundada do que já está. A Turquia exige dinheiro da Europa por cada Refugiado que segure na sua terra, e exige vistos para os seus virem para cá, e não fazer coisa boa. A Rússia cria a cada dia mais Refugiados, para a Europa mais se desentender. Cada país, dos 28 da União Europeia, vai para Bruxelas para toda e qualquer reunião, com a única ideia de não chegar a acordo. Cada dia esta mais se parte, mais se duvide, e todos à volta com isto beneficiam. E a extrema-direita cresce avassaladoramente em todos os países europeus, e na Alemanha a Frau Merkel tende a perder não para a social-democracia, mas para a extrema-direita. E a Europa olha para “dentro de si” com espanto, mas nada faz para se unir, para resolver toda esta trapalhada com que não sabe, nem quer saber “lidar”. Entretanto, o Monsieur Hollande, péssimo Presidente da República Francesa, vai puxando o seu Partido Socialista à direita, quase já tendo ultrapassado o de Monsieur Sarkozy, e aproximando-se de Le Pen, para não perder o poleiro.E, isto é a nossa Europa, e a Turquia e a Rússia e não só, a rirem-se da nossa actual pobreza de espírito e futuramente de “tudo”! Tristes tempos!!!

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 14/03/2016