A Turquia agora já interessa?

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

Quando a Turquia fez os possíveis e o necessário, para passar a integrar a Desunião Europeia, todos do lado cá, mas essencialmente os países do Norte – tão civilizado e desenvolvido – ordenaram que não entrasse. E, desde ainda não estar bem preparada, até poder ser uma corrente inadequada do crescimento do Islão na Europa, tudo foram argumentos para deixar a Turquia à porta. Entretanto Hungria com um ditador está cá dentro, quando parecia ser uma condição essencial que os Países da Desunião fossem, democráticos. Em simultâneo foram-se “metendo” para o saco países que estavam anteriormente na órbita da defunta – com vontade de ser ressuscitada pelo Sr. Putin – União Soviética, pareceria que assim, se fortaleceria a Europa Ocidente. Foram unicamente parecenças. Agora, com a crise tão agudizada dos Refugiados e Migrante, que até o Alto-Comissário na ONU, um Português que demorou e muito a reagir, de facto, pensando que tudo se resolveria por si, e na dúvida em querer ou não candidatar-se a Presidente do nosso País, agora só ataca a Europa por nada ter feito. Todos têm “culpas” – palavra sem consequências nestes dias – todos!

Presentemente, a Turquia com milhares de Refugiados e Migrantes no seu espaço, e na eminência de os deixar, todos, passar para a Desunião Europeia, já será possível chegar-se a acordo. Entra ou vai entrando desde que a troco de uns Euros aguente lá o Pessoal. Isto é, ao que neste tempo, hoje, chegou a Europa Ocidental, a Desunião Europeia e um bando de políticos que nem merecem este nome, tentam fazer qualquer coisinha, para ver se a Europa não rebenta de vez, por total incapacidade de ser Unida. Ou arranjando mais um Guerra para tudo destruir, e auto-extinguir-se, para dentro de uns séculos aparecer como parte da Ásia, ou de África. Todos se têm portado muito, muito mal, Bruxelas é um antro de burocratas, o Norte da Europa espezinha o Sul, este faz-se de vítima e não se muda em atitudes e mentalidades, e agora conta-se com a Turquia “cá dentro” com um Sr. Edergon, agora, hoje, a querer ser Presidente vitalício, como um dos países a resolver o que nos não soubemos, não quisemos fazer. Bem, não sendo a tempo vai ser a Turquia parte da Desunião Europeia, esperemos que resulte.

 

© Augusto Küttner de Magalhães,  17/10/2015