A Venezuela precisa de uma democracia, não de um salvador

 

Se é manifesto a quase todos no mundo inteiro, excepto ao próprio Nicolás Maduro, e aos seus familiares e comparsas internos e externos, que este é um péssimo Presidente da Venezuela, tendo ajudado a destruir o  país e a colocar em total sofrimento a população, também é fundamental desconfiar de salvadores providenciais. Juan Guaidó parece ser o “salvador” do momento na Venezuela. Temos tido, ao longo dos tempos, personagens desse género um por todo o lado. Mas uma vez no poder normalmente não salvam ninguém a não ser os próprios, os seus familiares e mais alguns apoiantes próximos. E na Venezuela já temos os exemplos dessa “salvação” em Hugo Chávez e  Nicolás Maduro. Assim, convenhamos  que o facto de o auto-proclamado Presidente interino — mesmo  tendo democraticamente chegado a Presidente da Assembleia Nacional — , ser apoiado pelos não muito recomendáveis,  Presidentes dos EUA e do Brasil, não é o melho “cartão de apresentação”! Os exemplos do que cada um deles faz como presidente, nos respectivos países, não é recomendável ser expandido a outros. 

Como é perfeitamente compreensível, a população da Venezuela quer agarrar-se a alguém que lhe ponha fim ao martírio que é ter Nicolás Maduro no poder. Mas salvadores que não salvam nada, infelizmente temos visto muitos ao longo da História, que de facto é bem mais longa do que aquilo que se passou na última semana. Há, nestas circunstâncias, uma predisposição para a população se agarrar a alguém que parece capaz de “salvar a pátria”. Mas não invulgarmente torna-se depois um ditador. É claro que tanto a Donald Trump como a Jair Bolsonaro interessa ter uma Venezuela onde possam ter influência por interposta pessoa no poder. As multidões que, neste momento, rodeiam calorosamente Juan Guaidó, estão, evidentemente, em  grande desespero. Já acontecerem situações idênticas em outras latitudes e tempos  — uma caso extremo com outros contornos foi a Alemanha dos anos 1930 —, os quais acabaram muito mal. A Venezuela não precisa, por isso, de um salvador, necessita é de um normal Presidente democrático que a governe em respeito pelos seus cidadãos.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 8/03/2019