Agora a Suécia tenciona expulsar até 80.000 refugiados

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

A Europa está-se a desconjuntar-se em pleno, a cada dia que passa. Isto é o fim da Europa ou o início da III Guerra Mundial, uma vez mais aqui na Europa? O Ministro sueco do Interior disse que a Suécia tenciona expulsar entre 60.000 a 80.000 pessoas, que em 2015 procuraram refúgio no país e que deverão ter o pedido de asilo rejeitado. E, já deu indicações à polícia e ao gabinete para as migrações para organizar a retirada das pessoas de forma gradual, com recurso a voos aéreos especiais. Claro que ainda não se quis a sério na Europa, esclarecer o que é um Refugiado e um Migrante, o primeiro tal como no tempo do Hitler é “alguém” a quem lhe desfizeram tudo e não tem hipótese de voltar ao seu País, é a morte quer lá o espera, o segundo procura um melhor local de trabalho e vida fora do seu País voluntariamente. O primeiro deve ser acolhido, o segundo civilizadamente tem que ser reencaminhado para o seu Pais de origem, dado que nada obsta a que lá possa estar, e viver.

Neste início do século XXI, a Europa cria barreias entre si, apesar de assinar com pompa e circunstância papelada que o não permite fazer, cada um decide por si, num tempo em que sem perder a História e a Memória cada País deveria fazer parte de um todo Único Europeu. Nada disso. Cada um faz o que lhe apetece, como se fossem ilhas isoladas. A Polónia, a Hungria, a Dinamarca e agora a Suécia. O Reino Undo que se vai desunir – deixar de ser unido! – se fizer o referendo já não desejado , mas incitado por David Cameron, para sair da Europa, mais lenha para a fogueira da decomposição europeia. A Europa chega a ter vergonha de Si, do Seu Passado, da Sua Cultura e, até, recebe o Chefe do Irão em Itália, mas em outro país qualquer europeu, se faria – e fará – o mesmo, tapa estatuetas, tapa quadros, esconde a História, para agradar aos não Europeus que por cá se passeiam, às compras!

Tudo a mostrar a Europa com vergonha de o ser. Tudo a demonstrar que o dinheiro vale mais que qualquer outra coisa. O dinheiro vale mais que um ser humano. E de repente todos parecem muito chocados com uma criança morta, afogada numa praia da Turquia, todos falam, todos se emocionam no momento, por acharem parecido com seus filhos, netos ou sobrinhos, mas depois tudo esquece. E desprezam-se mais vidas Humanas.A Europa está no seu declínio, por ter vergonha de ter sido o que foi. A Europa no seu – nosso – pior. Com medo de tudo e de todos, fecha-se, isola-se, aninha-se, deixa-se comprar. Muito mau.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 28/01/2016