A Alemanha não gosta de outro caminho

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

Berlim e o Sr. Schäuble não gostam do actual Governo português e tudo vão fazer para que se mantenha “vivo” o menos tempo possível. E como Berlim manda em Bruxelas, e como o Eurogrupo – algo que foi criado sobre a orientação do Sr. Schäuble –, decide muito na Europa, não devendo formalmente fazê-lo, não estão nada interessados em que os Países da Europa do Sul, os tais periféricos se desenvolvam. A Alemanha e não só, mas essencialmente esta, vai querer manter a Europa a duas velocidades sobre o comando Alemão. Isto foi um tique que lhes ficou dos tempos do Hitler. Nesse tempo, pela força do medo das armas, hoje pela força do medo da economia e da fome. A Economia manda na Política e o Sr. Schäuble, com muitos cá dentro e não só, seguem esse princípio. A França desatinou e o Sr. Hollande está a ver se ultrapassa a Frente Nacional pela direita, pelo que a tudo se vai sujeitar. O Reino Unido perdeu o domínio do Mundo faz uns anos e “ainda” não encontrou o seu lugar no meio do Atlântico, o resto é paisagem na degradada Europa. O Sr. Schäuble gostava muito do nosso anterior Governo, hoje oposição, nunca o escondeu e continua a demonstrá-lo, e tudo vai fazer para que volte ao poder. Democracia, bem, se a Alemanha concordar! São muito mais domáveis e fazem tudo o que a Alemanha, via Bruxelas – e não só – mandar fazer.

Claro que, nós Sul – todos, todos – fizemos muitos erros. E hoje, ainda fazemos. Comprámos submarinos alemães, comprámos automóveis de luxo e muito dispendiosos produzidos na Alemanha, e esta gosta que o façamos. E tem-nos amarrados. Fomos durante todo o anterior Governo um Protectorado alemão, com o agrado de quem era cá Governo. Se hoje a Oposição voltar a ser Governo torna a ficar abertamente às ordens de Sr. Schäuble. E este anseia que tal aconteça o mais rapidamente possível, independentemente das nossas escolhas cá dentro. Até “geringonças” que ainda andam, não lhe agradam. Os, hoje na Oposição têm, e não são os únicos saudades do tempo de Salazar. E “isto” vai sendo incutido em parte da nossa População, que deixou de pensar e fica vidrada num tempo que não entende, mas acha que deveria – talvez – ser melhor que o actual. Logo a Saudade, o Fado, o Futebol e Fátima!

Os Sindicatos ficaram parados, faz agora 40/42 anos, logo não ajudam a fazer o caminho no tempo actual. E não estamos a saber pensar por nós a construir dentro de um tempo global um país mais prósperos com futuro. Deixamo-nos ir pela espuma dos dias das notícias em catadupa que nos trazem temas e mais temas sempre deprimentes e não nos deixam – talvez intencionalmente – reflectir. E, não nos apercebemos que temos – todos – que ajudar o País e não só esperar que este nos ajude. O actual PR, que os hoje do “contra” – este Governo e não só – acham, mal, mal, por aparecer demasiado, tem a noção de estabilidade para o nosso País e quer que todos nós ajudemos, sem crispação, a fazer o nosso caminho. Bem, muito bem. E não quer que este Governo caia, para vir a criar situações de ingovernabilidade. Mas, dificilmente Governo e o PR sem “estarem atados”, mas a bem do País, fazem o nosso percurso se cá dentro se estiver tão de acordo com Sr. Schäuble só para voltarem a ter poder, o mais depressa possível. E se a geringonça cai, o Sr. Schäuble fica feliz e contente, e o nosso PR não pode fazer impossíveis!

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 4/05/2016