Angola está a mudar positivamente

 

O novo Presidente angolano, João Lourenço, parece que está a querer fazer, e também a  ser, o que prometeu no seu discurso de posse: um Presidente a combater a corrupção e os poderes instalados e  sem “medo” de assim agir. Estará a desligar-se do caminho percorrido pelo anterior Presidente, que só terá finalmente deixado de “ter que o ser” — Presidente de Angola — por estar muito doente e por haver cada vez mais descontentes face a uma presidência virada em torno de si mesmo e do seu clã familiar. A queda do valor do petróleo não deu para continuar a ajudar a satisfazer alguns apaniguados! E antes do anterior Presidente deixar de o ser, não só nomeou e renomeou os seus filhos e filhas, e quanto a estas a mais importante é sempre Isabel dos Santos, para cargos chaves em empresas e não só angolanas, como lançou projectos à conta do Estado angolano para os mesmos, seus familiares.

João Lourenço pareceria ir combater este estado de coisas, mas havia dúvidas se teria como o fazer. Parece agora que de facto está a fazê-lo. Um sinal importantíssimo é ter exonerado esta quarta-feira Isabel dos Santos, filha do anterior Chefe de Estado, do cargo de presidente do conselho de administração da Sonangol. Será um sinal de mudança, em tudo o que se vinha a passar em torno da
família Presidencial durante os últimos anos e que parecia eternizar-se na vida Angolana. Angola tinha meia dúzia de muito ricos — não é só Angola e não é só em Africa — junto da família do anterior Presidente, e grandes faixas da população em extrema pobreza e falta de cuidados primários de saúde, de alimentação, de Educação /Cultura. Espera-se que este sinal seja de facto o indício do começo de um caminho difícil mas único possível a ser seguido pela actual Presidente João Lourenço. Sendo que se não seguir essa via ficará subjugado ao anterior Presidente, o que lhe será muito mau e o anulará no curto prazo. Esperemos ver Angola a crescer muito mais igualitariamente, a não estar só virada para uma família do anterior Presidente e para os que em torno dela orbitavam. Esperemos que Angola consiga “explorar” tantas das suas riquezas que não só o petróleo. E que se humanize e seja um exemplo para tantos países africanos e não só, que estão a ter que ser mais seguidores de bem estar e qualidade de vida para todos e não só para minorias privilegiadas.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 15/11/2017