Putin a rir-se com esta Europa

Speakers' Corner - Augusto Küttner de Magalhães

 

A Europa perdeu totalmente o rumo e parece um “bando à deriva”. Em nada nos conseguimos unir, que possa fazer valer os nossos interesses internos como Espaço Europeu, e ainda menos quando estes interesses possam defendidos em União, quanto a “exequíveis detractores externos”! Será difícil fazer pior. Impossível, ainda não, mas quase. Se mais não quisermos aqui e agora analisar basta ver-se esta crise dos refugiados. Cada um fala para seu lado, cada um faz o que bem lhe apetece. E a quem se esperava mais fechamento, foi quem fez mais abertura caso de Frau Merkel, mas claro com as atitudes isoladas e anti-democráticas da Hungria a que se segue a Polonia, a própria Merkel perdeu-se, dentro do seu País. E a restante Europa, como sempre, assobiou para o lado.

Claro que o Sr. Putin no seu Condado e fazendo um “bonito”, para consumo interno, foi bombardear espaços que já foram da Síria já não em posse – do seu amigo – Assad, mas defendendo este, e criando ainda mais refugiados que “coitados” aparecem aqui nesta manta de retalhos que é a nossa Europa, o Velho Continente, que não sabe ser. E Putin nem precisa de mais fazer que não deixar a Europa desentender-se. E a aplicação de medidas económicas contra a Rússia face à tomada da Crimeia parte da Ucrânia – a que a Europa não soube reagir a tempo e quando o fez foi péssima – em vez de terem o resultado favorável a uma tomada de consciência mais correcta da Rússia, implicaram exactamente o contrário.A Rússia cria “ainda” mais confusão à Europa, e o Sr. Putin ri-se perdidamente na sua “saudade” da União Soviética.

A Frau Merkel já está a ser atacada dentro do seu próprio País, que se assusta com tanto refugiado a chegar, apesar de no início ter pensado que “campos de concentração” lembravam Hitler – o austríaco que os dominou –, bem como “refugiados em campos concentrados”! E esta Europa nunca esteve tão mal, a não ser quando abertamente se guerreou, se matou. Hoje, até ver, não o faz “internamente” com armas e tiros, mas com imbecilidades, descoordenação, muros, cada um a tratar de si – como a maioria das pessoas hoje, fazem – mandando às malvas tudo que sejam pactos assumidos sobre União.

Em Bruxelas faz-se de conta. Na Alemanha começam a ter força os neo-nazis. Ninguém se entende. A Turquia já percebeu esta confusão europeia – a coadjuvar a deles – e vai ajudar à trapalhada com o Sr. Erdogan e o seu AKP a vencerem as últimas eleições legislativas. E todos a fazermos de conta que nada é connosco. E entretemo-nos a dizer mal uns dos outros, não fazemos nada para nos unirmos, para dar força à NATO, para sabermos com unidade diferenciar Refugiados de Migrantes e acolher os primeiros e remeter os segundos para os seus países de origem, e unir a Europa. Assim vamos afundar de vez e Putin perdido de riso… ao que chegámos.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 5/11 /2015