A Rússia está a tentar influenciar as próximas eleições alemãs

 
O ministério do Interior Alemão está a detectar uma série de infiltrações em vários sites com terríveis notícias falsas, tudo indica para influenciar os resultados das eleições federais deste ano na Alemanha. Isto já foi feito durante a campanha Presidencial nos EUA e terá tido influência na vitória de Donald Trump, e, sabendo-se que foi orquestrado por Putin — apesar de Trump, claro, negar — e Obama, tarde demais, ter acordado. A Putin, nunca lhe interessaria ter Hillary Clinton como Presidente — que, sendo má, seria muito melhor que Donald Trump —, logo conseguiu ajudar a ganhar Trump, e agora irá fazer exactamete o mesmo com a Alemanha. Aqui, como é evidente, é fazer perder Angela Merkel para que vença a extrema-direita, que seria domável ao que a Rússia hoje pretende da Europa. O isolamento! Ou seja, isolar a Alemanha, tal como com os EUA com Donald Trump fechado sobre si mesmo, com uma directa ligação ao próprio Czar Putin e manobrado contra a China, acabando com as sanções económicas, dando cobertura à tomada de “posse” pela Rússia da Crimeia e ao controlo da Ucrânia.

Claro que se Merkel pela CDU, não continuar chanceler, e dado que Schulz, pelo SPD, não tem hipóteses de o vir a ser, a Alemanha entraria pela extrema-direita fechando-se sobre si mesma, largando alguma vontade de unir a Europa, e acabariam as sanções — de alguma Europa — à Rússia. Para Putin isto seria ouro sobre azul, dado que tendo como aliado Donald Trump nos EUA, passaria a ter a certeza que a Europa se iria desmoronar, e o sonho europeu que hoje está mais a parecer um pesadelo, acabaria de vez. Apesar da economia em derrocada do suposto Império do Sr. Putin, seria o único possível meio de anular a Europa e de tentar recuperar algum do espaço que em tempos idos a URSS teve.

Esperemos que o ministério do Interior Alemão actue, esperemos que os alemães não sejam mais uma vez “tapados” como quando seguiram o austríaco Hitler e saibam conseguir distinguir abertas mentiras da pura realidade. Apesar de tudo, hoje Merkel é a única pessoa que poderá tentar ainda unir a Europa. Se os alemães se deixarem dominar pelo Putin, desta vez será por repetir algo do género do que fizeram com Adolf Hitler e todos os europeus ficaremos pior do que hoje já estamos. Espera-se, e deseja-se, que funcione o Ministério do Interior Alemão, que haja algum bom senso e a coragem de dizer a verdade, algo que vai custar caro a Donald  Trump quando ficar na mão de mais segredos — espiolhados — que Putin sobre ele possa ter, e descaradamente
chantagear.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 11/01/2017