Trump e as “fake news”

 

Recentemente, Donald Trump  no Twitter apontou o dedo aos democratas por abuso de poder. “O Presidente dos EUA, Donald Trump, acusou os congressistas democratas de estarem a cometer o ‘maior abuso de poder da história’ do país, depois de estes terem aberto uma investigação ao chefe de Estado para apurar se cometeu obstruções à justiça, corrupção e abuso de poder. Trump disse que se lançaram numa ‘cruzada desesperada à procura de um crime’ que não existe.” E, por certo, muitos dos norte-americanos que sempre estiverem com o seu “amado Presidente” Donald Trump, acreditam nestas fake news que geram distorções constantes dos factos. Em média, dos cinco twites que o actual — e talvez também futuro — Presidente dos EUA  envia por dia, desde que foi  eleito, cerca de mil contêm alguma forma de inverdades. Imaginação não lhe falta. 

Em cima reproduzimos mais uma tirada de Donald Trump que se entende facilmente ser mais uma tentativa de manipular os acontecimentos a seu favor. Todavia, muitos norte-americanos não parecem ver a realidade assim.  Quanto aos democratas, estão também a falhar em encontrar uma candidato forte, para, de uma vez por todas, anularem o actual Presidente, logo estão a facilitar a sua possível reeleição. Com a ajuda da Rússia ou sem a ajuda desta, Donald Trump irá continuar Presidente dos EUA  apesar do mal que está a fazer ao país e ao mundo. E se Ronald Reagan, George Bush e George W. Bush já desregularam bastante EUA, Donald Trump vai deixá-los num estado ainda mais lastimável. Seja por batota, seja por fake news, seja por vontade dos eleitores norte-americanos, continuaremos a ter Donald Trump provavelmente até demasiado tarde para evitar males maiores.

 

© Augusto Küttner de Magalhães, 7/03/2019