Uma utopia? O momento para grandes decisões tomadas pela União Europeia

Em vez de se estar sempre e só a imaginar um Plano Marshall, ou a  dizermos que estamos numa crise acumulada de ausência de líderes, será tempo de se dar poder à União Europeia para ultrapassar a crise da Covid-19. Sem nenhum dos 27 Estados perder o que o individualiza e o seu passado histórico, teríamos uma verdadeira União Europeia. Assim, já hoje as decisões importantes a nível de segurança europeia e cumulativamente  ao nível do Espaço Schengen passariam para Bruxelas. O mesmo aconteceria com as relações com  outros continentes e países extra-União.  As verbas transferidas dos países mais ricos para os mais pobres aumentariam e seriam geridas  a nível europeu  com lisura, respeito e imparcialidade, por forma a que  a União dos 27 ficasse robustamente unida. O controlo da actividade dos que se aproveitam de todos os momentos para  mais lucrar (neste caso da pandemia, as máscaras e outros produtos médicos e de desinfecção), seriam combatido em conjunto. O perigo da compra pela China (isto é pelo Partido Comunista Chinês) de empresas europeias em crise, para depois virem a dominar a Europa, seria afastado por um esforço unido europeu na compra dessas mesmas empresas.  E os Chefes de Estado ou de Governo estariam sempre bem coordenados para tomar as decisões mais difíceis na União Europeia. Mas tudo pode ser apenas uma bela utopia europeísta…

© Augusto Küttner de Magalhães, 14/04/2020